6.22.2016

Sing street & 10 Cloverfield Lane


Hoje trago-vos a minha opinião de dois filmes que estrearam em Portugal em 2016. O primeiro chama-se 10 Cloverfield Lane e estreou em Abril. O outro chama-se Sing street e estreou na semana passada. São dois filmes bem diferentes mas recomendo ambos. Continuem a ler para saber mais sobre a minha opinião.




 NOTA: 8,5 | Realização: John Carney | [IMDB]

Dublin (Irlanda), década de 1980. Conor, de 14 anos, é um adolescente igual aos outros. Quando os pais se deparam com algumas dificuldades financeiras, optam por tirá-lo do colégio privado onde sempre estudou e matriculá-lo numa escola pública. A partir desse momento, tudo se altera: em casa, o ambiente torna-se a cada dia mais pesado, com os pais em constante ruptura conjugal; na escola, é gozado pelos colegas e perseguido pelos professores. Mas é também nessa altura que conhece Raphina, uma rapariga invulgar por quem se apaixona irremediavelmente. Para a impressionar, cria uma banda com alguns dos amigos mais próximos, também eles inadaptados. Através das músicas e do seu estilo muito peculiar, este grupo de jovens vai aprender a conquistar corações e a superar os desafios da idade…

Sing Street é um filme indie que tem recebido óptimas críticas nos canais de cinema que sigo no Youtube e, como tal, estava muito curiosa para o ver. Acabei por ter a felicidade de o ver no cinema com a Chris, numa sala completamente vazia e só para nós. E adorei a experiência e o filme :)

Sing street é, no fundo, um romance e uma história coming of age. Um rapaz é obrigado a mudar de escola e acaba por conhecer uma rapariga por quem se apaixona. Para chamar a sua atenção decide criar uma banda e, ao longo, do filme vamos acompanhando o percurso desta banda e destes jovens.
O filme explora, com muito sucesso, a procura da identidade pessoal na adolescência e o desejo de lutar pelos nossos sonhos, de não nos conformarmos com o que é rotulado como "normal". 




Adorei todas as personagens e a maioria delas soa bastante autêntica. Destaco sobretudo a relação do Conor com o seu irmão ou com o elemento mais artístico e musical da banda, Eamon. Houve algumas personagens que gostava que tivessem sido melhor exploradas mas, no fundo, é a banda enquanto todo que é importante. De um modo geral, todas as interpretações foram excelentes (o meu preferido foi o actor Jack Reynor que interpretou o irmão) e o filme captou bem o que é ser adolescente.



Este é um filme que decorre nos anos 80 e é exímio a captar o espírito desta década tanto a nível musical como a nível de moda. Tanto a música como o guarda-roupa estão espectaculares


Apesar de todos estes pontos positivos, aquilo que mais me cativou no filme foi o seu humor e boa energia, mesmo nos momentos mais difíceis. Existem várias relações e momentos complicados na história mas, mesmo assim, é um filme que nos deixa no final com um sorriso nos lábios.

     

     

Concluindo, super recomendo este filme. Fiquei com muita vontade de ver o outro grande filme deste realizador...Once.

“Maybe you’re living in my world. I’m not living in yours. You’re just material for my songs.”


NOTA: 7, 4 | Realizador: Dan Trachtenberg | [IMDB]
Depois de um acidente de automóvel que a deixa sem sentidos, Michelle desperta na cave de um desconhecido. O homem explica-lhe que houve um ataque químico à escala mundial e que, ao encontrá-la na estrada, a trouxe para ali para lhe salvar a vida. Com eles encontra-se Emmett, vizinho do dono da casa, que corrobora a teoria de que a salvação está dependente do total isolamento da atmosfera exterior. Se, ao princípio, o choque a faz acreditar no que eles lhe dizem, com o passar do tempo, e com uma constante sensação de claustrofobia, ela começa a desconfiar das suas intenções.


10 Cloverfield Lane é uma espécie de sequela do filme Cloverfield (2008), um filme de terror de "found-footage". Eu não vi o primeiro filme antes de ver este e apenas resolvi ver este porque o trailer me deixou cheia de curiosidade. Por acaso, fico feliz por não ter visto o primeiro filme porque assim fui sem qualquer noção e expectativa e acabei por apreciar melhor este filme por si mesmo. 

Pelo que sei, o primeiro filme é uma espécie de filme de terror com monstros e esse não é o caso deste, que é mais um thriller psicológico. Não quero falar muito do seu enredo porque acredito que, quanto menos souberem do filme, mais vão gostar deste.



Quero só dizer que gostei muito da tensão e da atmosfera criada. Há um constante sentimento de desconfiança por parte da nossa protagonista e ela nunca se sente segura e não sabe em quem acreditar (nem nós). É um filme bastante claustrofóbico, não só por causa das relações entre as personagens mas também por causa do local da acção, um bunker subterrâneo.


As interpretações são também muito boas e destaco, principalmente, a de John Goodman. Espectacular :)  A realização foi também bastante boa e adorei os cenários do bunker.




Aquilo que não me convenceu muito foi o final porque achei-o bastante anticlimático e apressado. Isto acabou por ser bastante curioso porque, no fundo, o final é aquilo que liga os dois filmes.

Se gostam de thrillers psicológicos, recomendo muito este filme!


People are strange creatures. You can’t always convince them that safety is in their best interest.



E vocês? Já viram algum destes filmes?

2 comentários

  1. Fiquei curiosa para ver os filmes, particularmente o primeiro. Parece bem o meu estilo. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário :) O primeiro é realmente bom, vale a pena!

      Eliminar

Latest Instagrams

© Sede de Infinito. Design by FCD.