7.11.2017

Aniquilação, Jeff Vandermeer


Tal como já tinha referido no vídeo Mix mensal, no final do mês de Junho comecei a ler o livro de ficção científica Aniquilação, o primeiro da trilogia Área X. No ínicio deste mês concluí então a leitura e hoje venho partilhar com vocês a minha opinião.

Área X. Uma zona misteriosa e isolada do resto do mundo. Onde a natureza reclamou para si qualquer vestígio de civilização. Sucessivas expedições são enviadas para investigar o mistério que levou à sua contaminação, mas todas redundam em fracasso e os seus membros regressam meras sombras das pessoas que partiram.
Até que chega a vez da 12.ª expedição. Composta por quatro mulheres (antropóloga, topógrafa, psicóloga e bióloga), a sua missão é desvendar o enigma. Mas acontecimentos bizarros e formas de vida que ultrapassam o entendimento minam a confiança entre os membros da expedição. Nada é o que parece e o perigo espreita a cada esquina. Que novos horrores se escondem na Área X? Será a 12.ª expedição capaz de revelar todos os segredos… ou estará condenada à pior das tragédias?
Aniquilação era um livro que eu já queria ler há bastante tempo mas que acabei sempre por adiar uma vez que a trilogia ainda não está completa cá em Portugal (a Saída de Emergência ainda não publicou o 3º livro). No entanto, como a Chris se ofereceu para me emprestar os dois primeiros livros, eu resolvi aproveitar a oferta e lê-lo para a categoria livro emprestado do Book bingo "Leituras ao sol". Este livro acabou por ser bem diferente do que eu estava à espera mas, mesmo assim, foi uma leitura que valeu a pena.




Em primeiro lugar, tenho de mencionar que este é um livro que se encaixa na categoria de weird fiction e isso torna-se bastante evidente desde o início da leitura. Este é um livro narrado na primeira pessoa pela bióloga à medida que ela vai explorando esta àrea misteriosa que se encontra totalmente controlada, de uma forma agressiva, pela Natureza. Temos acesso a todos os seus pensamentos e emoções à medida que ela vai embarcando numa viagem, que acaba por ser mais interior, num território desconhecido. De facto, quanto mais ela explora a área X menos a compreende e isso acaba por tornar a leitura mais intrigante e viciante.

Este é também um livro muito atmosférico e intrigante, que apresenta alguns momentos memoráveis. De certo modo, este assemelha-se muito ao estilo bizarro dos contos de Lovecraft e, como tal, acredito que não será do agrado de todos. Pessoalmente, gostei muito do estilo sensorial da escrita, das descrições perturbadoras e do ritmo lento da narrativa que contribui para o aumento da tensão. No entanto, este acaba por ser também um livro um pouco frustrante uma vez que pouco é resolvido (talvez nos outros livros surjam resoluções?) e existem alguns momentos que eu sinto que podiam ter sido melhor desenvolvidos.

 
Concluindo, recomendo este livro para quem gosta de ficção científica mais bizarra, que previlegia uma boa abordagem psicológica e construção do mundo. É, sem dúvida, um livro que se destaca pela sua atmosfera de paranóia e sensação de dread. Irei ler o segundo livro sem dúvida.



E vocês? Já leram este livro ou algo de "weird fiction"? 

2 comentários

  1. Eu li este e não achei nada weird.. foi uma leitura interessante (3*), mas nada de fabulástico! Fiquei com alguma curiosidade para ler o 2ª livro, mas depois passou. Passei o livro inteiro a pensar que estava no Lost :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é muito muito bizarro mas eu acredito que é "weird fiction" pois se preocupa mais com atmosfera do que enredo e personagens, e mistura partes científicas com elementos místicos. Não quero falar de spoilers mas há uma parte que se encaixa definitivamente na "weird fiction" :P
      E sim, concordo contigo. O livro lembra muito as temporadas iniciais de Lost :D

      Eliminar

Latest Instagrams

© Sede de Infinito. Design by FCD.